in , ,

Calendário de vacinas para cachorro filhote: fique por dentro

Seguir o calendário de vacinas para cachorro filhote é uma das melhores formas de cuidar do seu cãozinho. Confira!

cachorros

Quando adotamos um cachorro filhote, é necessário entender que os cuidados vão além dos passeios e da alimentação. Para que o animal cresça saudável e com uma boa qualidade de vida, é preciso cuidar da sua saúde desde cedo.

Seguir o calendário de vacinas é uma das melhores formas de cuidar do animal. Elas são dadas no início da vida, e irão prevenir que o cão contraia alguma doença, o que pode até mesmo salvar a sua vida.

Se você adotou um filhote recentemente e tem dúvidas a respeito das vacinas que ele precisa tomar, fique tranquilo, neste post você irá encontrar as dicas necessárias para cuidar bem do novo membro da família. Além disso, terá mais segurança e conhecimento prévio sobre as informações que serão discutidas no consultório veterinário.

Quando vacinar um cachorro filhote? Entenda qual é o melhor momento

O primeiro passo é entender que o veterinário irá analisar o caso do cachorro esuas necessidades. Porém, independentemente dessa etapa, existem algumas vacinas que são obrigatórias e padronizadas, como é o caso das vacinas múltiplas que são conhecidas como V8 e V10 e a anti-rábica.

Caso você tenha pegado o cachorro em algum local desconhecido, e não sabe se ele já tomou as vacinas ou se tomou na época certa, será necessário aplicar três doses das vacinas múltiplas com um intervalo de 21 dias entre elas e também uma dose da vacina anti-rábica.

É importante ressaltar que filhotes com menos de 45 dias de vida não devem ser vacinados. A única exceção é quando a mãe do animal não tenha sido vacinada em toda a sua vida. Assim, a vacina acaba sendo tomada mais cedo para não correr o risco de perder a eficácia, caso os anticorpos da mãe sejam passados para a cria.

calendario-vacina-cachorro-filhote

Quais são as vacinas de cachorro filhote?

1 – Vacinas V8, V10 e V11 e que elas combatem

As vacinas V8, V10 e V11 são bem parecidas, a única diferença entre elas é proteção para tipos variados da leptospirose. Mas muitas vezes, essa distinção não é tão relevante, já que a V10 e a V11 protegem contra alguns tipos de leptospira que não estão presentes no Brasil.

A versão escolhida deve ser aplicada no animal a partir de 45 dias de vida, pois irá protegê-lo contra diversas doenças que são altamente contagiosas em animais com menos de 1 ano. Algumas delas são:

  • Cinomose – Um vírus altamente contagioso, que causa danos neurológicos e até a morte.
  • Hepatite infecciosa canina – Os sintomas da HIC são confundidos com envenenamento. A doença ataca o fígado e pode levar a morte.
  • Adenovirose – Uma das principais causas de doenças respiratórias nos cães, e também pode desencadear doenças mais sérias.
  • Coronavirose – Este vírus afeta o trato intestinal dos cães.
  • Parainfluenza canina – Causadora da popular “tosse dos canis”.
  • Parvovirose – Quando ataca o coração de filhotes pode até mesmo causar morte súbita.
  • Leptospirose canina – A bactéria atinge, principalmente, rins e fígado. Um quadro com mais de uma semana pode facilmente matar o animal. A vacina V8 protege contra dois tipos de leptospirose, a V10 quatro e a V11 sete tipos.

 

2 – Vacina contra Giárgia em cachorro filhote – É necessário?

Também existe a vacina contra giárdia, e grande parte dos veterinários indicam fazer a aplicação, pois ela ajuda a diminuir os efeitos colaterais da doença. Mesmo assim, não elimina as chances de o animal contrair a doença.

Grande parte das infecções por Giárdia não apresentam sintomas. Entretanto, quando acomete filhotes (especialmente os que estiverem com imunidade baixa), pode apresentar diarreia, cólicas e perda de peso.

Leia também: Vermífugos e vacinas para cachorros de todas as idades

3 – Vacina contra a raiva canina – Fundamental e obrigatória!

Outra vacina que também é muito recomendada pelos veterinários é a vacina contra raiva (anti-rábica), que é dada a partir da 16ª semana de vida.

O vírus da raiva é transmitido para cachorros e seres humanos por meio da saliva, em contato com mordidas ou arranhões. Infelizmente, não existe um tratamento para essa doença. Para evitar uma fatalidade, o mais indicado é a prevenção, o que contribui para que o vírus seja erradicado.

Existem políticas públicas de vacinação gratuita em várias cidades, para diminuir os riscos para a saúde pública. Procure na sua região!

Além dessas mencionadas aqui, existem muitas outras que o veterinário do animal poderá indicar, caso ele ache necessário. A melhor forma de prevenir a saúde do seu cachorro e mantê-lo sempre seguro é não deixar passar essas datas e, caso passe, não deixar de dar as vacinas.

Ter um calendário de vacinas completo e bem estruturado poderá garantir uma vida longa e com qualidade para o seu cachorro.

Veja também como a alimentação do seu filhote faz parte do desenvolvimento

Para saber muito mais sobre cachorros, continue no portal e confira todas as dicas.

Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Loading…

0

Comments

0 comments

Tudo sobre ansiedade de separação

raças de cachorros

Saiba como lidar com as raças de grande porte