in ,

Eutanásia para cães

Os cães são os nosso melhores amigos! E merecem de nós todo apoio, cuidado e carinho do mundo, e isso implica em fazer o que for necessário para que eles fiquem bem e em paz.

Incluindo um método bem utilizado no mundo canino, a eutanásia. Sabemos que é um assunto muito delicado, e até desagradável, mas todas as pessoas que possuem um cão, devem parar para refletir sobre a prática.

Afinal, não podemos pensar na situação somente quando ela chega! E claro, existe a possibilidade de você nunca precisar passar por essa situação. Tudo é bem relativo.

Em nosso artigo de hoje você vai conhecer mais sobe essa prática que pode ser indicada para cães. Confira.

O que é eutanásia?

O termo eutanásia tem origem grega, sendo que significa algo parecido com ‘’boa morte’’ ou ‘’morte sem sofrimento’’. Mas a pergunta que não quer calar é, isso é possível?

Quando falamos de morte, sendo de humanos ou pets, nos deparamos com um fenômeno que mesmo tão estudado não consegue ser compreendido em sua totalidade, afinal, há diferenças até mesmo culturais na forma de encarar a morte.

Na cultura ocidental sem dúvidas a morte é relacionada a dor e ao sofrimento. Muitas pessoas acreditam que o dono de cachorros não pode sentir tudo isso, porém, é cada vez mais comprovado que perder um cachorro é muito similar a perder um ente querido.

Por isso a pessoa deve sim viver todo o luto e sofrimento da morte de um cão, essa é a forma de luto mais saudável a ser feita.

A eutanásia gera uma série de polêmicas na área de saúde, sendo discutida se é uma prática aceitável ou não para nós humanos. Mas no mundo dos pets a prática é aceita, e bem praticada, faz algum tempo.

Mas claro que tudo desse ser feito de maneira ética.

Quando a eutanásia é indicada?

Dar uma resposta concreta para essa pergunta é bem difícil, pois vai depender de muitos fatores e também de cada caso.

Mas devemos pensar que é sempre uma medida sugerida quando não há cura de uma doença, e o animal vai ter todo o seu bem estar comprometido, portanto é uma última opção a ser tomada.

Na verdade a prática é indicada para livrar o animal da dor, dos remédios e exames constantes, já que nada disso vai curar sua doença, só vai prolongar sua vida, mas sem a mínima qualidade e sim gerando sofrimento.

E os cachorros são tão bons e puros que não merecem isso, não é mesmo?

Por isso devemos deixar claro que a prática não foi feita para livrar os tutores de nada, de obrigações ou até mesmo de custos. A prática, é o último recurso para devolver a paz ao animal.

Portanto, ver a prática da forma correta pode ajudar que as famílias tomem essa decisão de uma forma menos dolorosa.

E o papel do veterinário no meio disso tudo?

Um dos papéis do veterinário é ajudar na orientação dos donos em tomar essa decisão. Ou seja, os médicos devem jogar de forma clara com os tutores, dando todas as opções possíveis, explicando como cada uma delas age, a consequência de cada uma, entre outros detalhes.

Basicamente o veterinário vai explicar tudo para as famílias, dar todas as opções, tirar as dúvidas possíveis. Mas mesmo com toda sua experiência jamais pode tomar a decisão pela família.

A decisão final é e sempre deve ser dos donos, o veterinário pode dar um suporte nessas horas, devido a sua longa experiência com situações. Inclusive, vários locais já tem uma equipe de psicólogos preparados para ajudar as famílias na decisão, e também no sofrimento pós decisão.

Pois uma coisa que pode estar muito presente nesse momento é o sentimento de culta! É natural sentir – se assim, afinal, na sua cabeça você matou de forma indireta seu cãozinho. Por isso é muito importante entender o conceito da eutanásia e pra que ela serve, só desse jeito você vai conseguir entender que no final, fez algo de bom para o seu pet.

É muito egoísta os querer do nosso lado mesmo mediante a toda dor e sofrimento, né? Até porque a família toda vive essa angustia junto com o animalzinho.

Lembrando mais uma vez que o médico veterinário deve fazer tudo com muito respeito, há um código que orienta todo esse processo. Portanto, há condições, situações, momentos, doses e tudo mais que é recomendado para que até os últimos momentos do pet seja respeitado, e feito de forma digna.

Como a eutanásia é feita?

Existem mais de 20 técnicas de métodos físicos e químicos, sendo um dos mais comuns a injeção letal!

Se optar por essa prática o cão usa analgésico antes, ou seja, ele vai ser ‘’sedado’’ para que não tenha nenhuma dor. As técnicas são muitas, desde outras injeções, até um sedamento mais profundo, tudo isso vai depender da clínica que você escolher, e do veterinário, depois da decisão da eutanásia pela família, geralmente o profissional escolher qual é a melhor forma de realizar o procedimento.

Importante ressaltarmos que cão não sofre, ou não deveria sofrer, durante o procedimento. Porém, ele pode ficar ansioso, devido toda a movimentação, e tensão do momento! Eles podem sentir o que está para acontecer.

Sabemos que é um momento extremamente triste na vida de qualquer dono!

Se você gostou do nosso artigo de hoje continue em nossa página e confira muito mais.

Comments

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Loading…

0

Comments

0 comments

Festa de aniversário para pets

Doenças que os pets podem transmitir